Medo paralisante X Medo catalisador

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Entenda como usar essa sensação de uma forma que você consiga se preparar ainda mais para o que deseja

Ao longo de toda a nossa evolução, o medo sempre teve um papel importantíssimo, já que é ele que preserva nossa vida, à medida que avalia os prejuízos e os riscos da situação. Imagina como ficaríamos mais desatentos sem esse recurso no nosso dia a dia, ao atravessar a rua, subir no alto de um prédio, chegar em um lugar novo, por exemplo. Já pensou?! Por isso, veja: o medo é um guia excelente para nossa transformação.

E quando falamos de mudança de carreira, de trabalho, é justamente o medo quem irá zelar por aquilo que nos é valioso. Então, se você está nesse momento, querendo fazer uma transformação significativa na sua vida, saiba que uma maneira excelente de lidar com essa situação é justamente listar os seus maiores medos ao fazer essa transição tão desejada. 

Comece pensando qual seria o pior cenário que poderia acontecer, e a partir deste ponto, quais são as dúvidas e possibilidades que se apresentam. Após encontrar este “cenário pesadelo”, que passos seriam importantes para você conseguir arrumar ou cuidar do estrago que aconteceu? Como você poderia voltar a ter as coisas sob controle? E, olha, provavelmente você ficará surpresa ao descobrir que vai ser muito mais fácil do que imagina!

Olhando por um outro viés, quais são os benefícios e resultados mais prováveis que podem acontecer? Quais são os impactos internos e externos?

Quando eu falo interno, estou querendo dizer em relação a sua autoconfiança e autoestima. E externamente, o impacto de tudo o que está fora de nós, de maneira geral, aquilo que de fato não temos controle. Tente listá-los de zero a 10, sendo o número 10 para aquele que seria o melhor possível e 1 o pior. 

Se volte para essa tabela que você criou e analise: qual é a possibilidade de criar um cenário possível e favorável dentro disso? Se lhe pareceu muito distante, tente pensar em quais pessoas que você conhece que já conseguiram. E aí, o que elas fizeram? 

Com essas informações em mente, o próximo passo é imaginar o seguinte: se você fosse demitida hoje do seu emprego, o que precisaria fazer para ter suas finanças sob controle? E se fosse necessário voltar a ter um emprego, fazendo o que faz hoje, qual seria o caminho a seguir? 

Agora volte novamente para os seus medos e observe… Veja: o que a gente geralmente tem mais medo de fazer é o que a gente mais precisa fazer! Não é? O medo do desconhecido nos impede de fazer o que a gente precisa fazer de verdade. Então defina o seu pior cenário, compreenda-o, aceite-o e entenda o que precisa fazer para cuidar dele. E faça. Faça algo por você! 

Eu tive uma ideia aqui para você começar a praticar a lidar com seus medos. O que acha de fazer uma coisa por dia que lhe dá muito medo? Pode ser bem simples como assumir a responsabilidade de matar a barata quando ela aparecer, ficar no escuro por mais tempo, falar com um desconhecido na rua. Não sei. Diga você: o que te paralisa? O que te assusta? Do que você tem medo? Encarar um medo cotidiano por dia certamente irá lhe ajudar a ser uma pessoa melhor, mais desperta, que aceita tomar mais riscos e, com isso, você verá que será cada dia mais você mesma. 

Após essa reflexão, olhe para você com sinceridade e responda:

O que o medo tá te custando financeiramente, emocionalmente e fisicamente? 

Ao não fazer o que precisa por medo, leve também em consideração tudo o que você está deixando de ganhar com essa situação. Ao deixar de tomar uma atitude por conta do medo, onde você não estará daqui 1, 5, 10 anos? 

Ei! Você está esperando pelo quê? 

Não deixe que o medo lhe impeça de viver a vida que você acredita valer a pena. 


Quer ler mais artigos e ter acesso aos meus últimos conteúdos?